As dimensões de saúde global do amianto e as doenças relacionadas ao amianto

Resumo: O Collegium Ramazzini (CR) reafirma seu posicionamento de longa data que uma ação de saúde pública responsável é banir totalmente a extração e o uso do amianto, incluindo a crisotila. Este atual posicionamento do CR atualiza as declarações anteriores com foco nas dimensões globais à saúde e as doenças relacionadas ao amianto (DRAs).

A epidemia de DRAs provavelmente não atingirá o seu pico durante pelo menos a próxima década na maioria dos países industrializados e por várias décadas nos países em processo de industrialização. O amianto e as DRAs continuarão a apresentar desafios no campo da medicina do trabalho e da saúde pública, bem como na pesquisa e na prática médica, e, é por isso, que se tornaram um problema de saúde global. Os países industrializados que já passaram pela transição da proibição do amianto aprenderam lições e adquiriram know-how e capacitação que poderiam ser de grande valor, se implementados em países em processo de industrialização, que iniciam sua transição. A riqueza da experiência acumulada e as tecnologias desenvolvidas nos países industrializados deveriam, portanto, ser compartilhadas internacionalmente através de campanhas globais para eliminar as DRAs.

Para ler o artigo completo clique aqui.

Acessos: 62